Peeling Químico

O peeling é um procedimento utilizado para amenizar marcas ou manchas na pele. Durante este procedimento são eliminadas as células mortas, dando um aspecto saudável e removendo toda a camada fina, que se regenera, já que novas células serão produzidas.

O peeling químico é aplicado diretamente sobre a pele, portanto, para entender o seu funcionamento, vamos relembrar um pouco deste que é o maior órgão do corpo humano. A pele é composta essencialmente por três camadas: a hipoderme, que é a mais interna e que é responsável pela temperatura corpórea, a derme, que é a camada intermediária e responsável pela produção do colágeno (que dá firmeza à pele) e da elastina (que dá elasticidade), e por fim a epiderme, a camada mais externa e que produz a queratina.

Quando você realiza uma aplicação destas substâncias químicas sobre a pele, ela vai descamar e remover todas as células mortas, fazendo com que haja uma renovação destas células. E o peeling químico não vai agir apenas sobre a pele mais externa, mas também nas camadas mais profundas da pele. Você lembra quando falamos da derme? Pois a ação destes produtos chega até estas camadas, forçando nosso organismo a produzir mais colágeno. O resultado de tudo isso é uma pele mais clara, limpa, lisa, macia e é claro, firme.

O que o peeling químico trata

Este tipo de procedimento é indicado para a eliminação ou redução de rugas, cicatrizes, manchas e envelhecimento de pele que podem vir a aparecer não apenas no rosto, mas em qualquer parte do corpo.

O peeling pode ser superficial, médio ou profundo. Isso vai depender da necessidade da paciente e da concentração de substâncias químicas utilizadas durante o tratamento.

Quando se realiza o peeling superficial, apenas a epiderme é atingida, fazendo com que ocorra uma fina descamação. Este procedimento é muito seguro e renova o colágeno. Por ser muito suave, é preciso algumas sessões para começar a ver o resultado.

Já no peeling médio, há uma combinação de substâncias químicas que são aplicadas e que ultrapassam esta primeira camada de pele. A descamação é mais intensa, e, portanto, requer maiores cuidados.

E por último, o peeling profundo não só ultrapassa a epiderme, como também atinge as camadas mais profundas da derme.

A escolha do procedimento mais adequado e o tipo de substância a ser utilizada não dependem de você, portanto, consulte sempre seu cirurgião para avaliar sua recuperação e discutir se realizar estes procedimentos é uma boa opção para o seu caso.

Gostou desse artigo? Compartilhe e leia outros posts no blog!

Deixe uma resposta